Rolim de Moura,
24°C

Cidades
Conheça a verdadeira história de Ana Carolina, a Rainha do Café
“O fato de Ana Carolina residir em Rolim e não em Castanheiras gerou polêmica, mas é irrelevante, já que a Rainha eleita tem raízes nativas em Castanheiras”

Assessoria de Imprensa
Publicado 11/09/2019
A A
Fotos: Assessoria

No município de Cacoal (RO), aconteceu pelo segundo ano consecutivo a Festa do Café, e para abrilhantar o evento existe o concurso para escolha da Rainha do Café, uma oportunidade para os municípios que compõem a Indicação Geográfica do Café (IG), ter uma representante. Foi assim que surgiu a ideia de inscrever Ana Carolina como candidata, representando o município de Castanheiras.
A Coordenadora de Saúde do Município de Castanheiras, Fatima Martinez, recebeu do chefe de gabinete de Castanheiras, a missão de selecionar garotas que tivessem perfil adequado para participar da competição, mas relata que as meninas convidadas eram bonitas, tinham tudo para concorrer e até ganhar, mas não aceitaram e o prazo para inscrever uma representante estava acabando.
Foi então que se viu como opção inscrever Ana Carolina. Ela aceitou não pela premiação. Foi com objetivo apenas de representar o município de Castanheiras e ela deu o máximo na sua apresentação. “A motivação em inscrever Ana, estava no fato de seus avós serem pioneiros no município de Castanheiras, com uma bela história no cultivo de café. Só por isso justificaria o vínculo, porque na verdade não era um concurso para estudantes, mas sim para as meninas cujos familiares trabalhassem com o café”, explicou Fátima. 
Quando a família de Ana Carolina veio para o estado de Rondônia, eles foram acolhidos pela família da senhora Berenice Ferreira de Araújo, que já estavam no estado desde 1978. Na época a família de Ana veio a convite da família Araújo justamente para trabalhar na lavoura de café.
A senhora Berenice Ferreira de Araújo, hoje aposentada, conta que na época tinha o incentivo dos agentes financeiros que era o Banco do Brasil, para plantar café e seringueira, teve muito produtor que cultivou seringueiras na época. Na época o senhor Sebastião, que é cunhado da mãe da Ana, convidou a família para vir para Rondônia morar e trabalhar na lavoura de café, aqui onde hoje pertence ao município de Castanheiras. Eles ficaram por muito anos trabalhando com a gente.
A senhora Berenice ressalta que acompanhou praticamente toda a infância de Ana, desde que foi concebida, pois sua mãe Lucia Aparecida de França, era muito amiga da família, enfim até hoje a amizade permanece. 
Para Lucia Aparecida de França ver a filha traçando seu caminho e correndo atrás dos seus sonhos é motivo de orgulho. “Ela tem 17 anos, concebi ela com 28 anos, através de muita luta consegui criar ela, sempre ensinado, mostrando o caminho certo, ensinando a trabalhar, desde de muita pequena ela já começou a correr atrás de seus objetivos e cresceu uma menina muito esperta, inteligente na escola e guerreira. Ana cresceu e teve sua infância no município de Rolim de Moura, seus avos, hoje in memoriam chegaram em Castanheiras em 1981, foram pioneiros na linha 184. 
Então como ela é minha filha e sempre fui uma mulher muito guerreira trabalhando em lavoura, dei todo meu apoio para ela participar do concurso e disputar com Rainha do Café, por todas as lutas que nós tivemos, pela  história dos meus pais, por todo o sofrimento que passamos por ser os primeiros a chegar aqui, se hoje existe Castanheiras, foi preciso existir os primeiros desbravadores que pisou aqui nessa terra, que sofreu, batalhou para depois as coisas acontecerem. 
A vitória de Ana como Rainha do Café foi algo inesperado, que deu a ela a chance de iniciar a realização dos seus sonhos, de uma grande vitória”, desabafa Lucia emocionada.  
A festa do Café fomenta a economia dos municípios da região da zona da mata, para o município de Castanheiras ter uma representante é de suma importância e diz; “nós vamos incentivar os produtores aqui do município a plantar e colher mais café, também vai agregar o valor do nosso café em toda região da zona da mata. Nós estávamos juntos pelo Munícipio de Cacoal que é a capital do café e isso sem dúvida vem somar valores importante para o pequeno produtor de toda nossa região”. 
Agora quanto o concurso para Rainha do Café, na qualidade de gestor estou muito feliz com o resultado e por essa oportunidade de ter Ana Carolina como Rainha, até porque tem seus parentes aqui na região, os avos moraram aqui, sofreram  aqui na região quando era realmente difícil, hoje é tudo fácil, tem internet em todo lugar, telefone, energia, então isso traz somente sucesso para o município de Castanheiras, enfatiza o prefeito Alcides Zacarias. 
Ana Carolina França da Silva tem 17 anos e representou no Concurso Rainha do Café, o município de Castanheiras, foi eleita e ganhou uma bolsa de estudos integral, mas quando recebeu o convite não levou muito a sério, ela conta que simplesmente respondeu “sim” no momento que foi convidada, não parou para pensar na magnitude do evento. 
Ana ressalta que; “foi uma festa linda, quero até parabenizar a prefeita Glaucione Rodrigues, ao Emanuel que organizou, a festa foi incrível. Quando fui inscrita não sabia ainda que teria a chance de ganhar a bolsa de estudo, a decisão de presentear a Rainha surgiu nos últimos dias antes do evento, foi uma surpresa para todas as candidatas, jamais passou pela cabeça que isso poderia acontecer, até porque o prêmio de início seria somente em dinheiro, mas quando recebi a mensagem que teria a possibilidade de ganhar um bolsa de estudo, passou um filme na minha cabeça, pois estou terminando o terceiro ano e não tinha nem ideia do que iria fazer para conseguir uma faculdade, foi ai que deu aquele “BUM” na minha vida, agarrei a oportunidade com unhas e dentes, é um sonho e essa bolsa veio especialmente para mim”. 
A jovem quer seguir seus sonhos e já sabe o que quer fazer; “vou começar pelo curso de enfermagem, porque a faculdade disponibilizou todos os cursos exceto medicina, mas sou muita grata a UNESC por ter me presenteado com essa bolsa, vou aproveitar o máximo, cada dia que estiver dentro daquela faculdade, vou fazer enfermagem e logo em seguida se Deus quiser vou cursar medicina”, finaliza entusiasmada Ana Carolina.
O fato de Ana Carolina residir em Rolim e não em Castanheiras gerou polêmica, mas é irrelevante, já que a Rainha eleita tem raízes nativas em Castanheiras e o estatuto do concurso não apresentava nenhuma restrição.
 

 

Fotos: Assessoria
Fotos: Assessoria
Fotos: Assessoria
Fotos: Assessoria
Fotos: Assessoria
Fotos: Assessoria
Fotos: Assessoria
Fotos: Assessoria
Fotos: Assessoria
Fotos: Assessoria
Fotos: Assessoria

Fonte: Assessoria de Imprensa

Festa do Café   2ª edição   Vencedoras   PIONEIROS   Concurso Rainha   Unesc   Cacoal   bolsas de estudos  

Mais em Cidades

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.