Rolim de Moura,
24°C

Vaqueiro fica preso por engano no lugar do irmão durante dois anos e meio
O irmão acusado por roubo, furto e falsidade ideológica, que deveria estar detido, cumpria pena no regime semiaberto e, ao sair, não retornou à prisão. Caso ocorreu no Rio Grande do Norte

Publicado 14/12/2019
A A
Foto: Divulgação

Um homem ficou preso no lugar do irmão por mais de dois anos. É a história do vaqueiro Eldis T. da S., que ficou em recluso no Rio Grande do Norte, pelos crimes do irmão Eudes T. da S., acusado de roubo, furto e falsidade ideológica pelo qual ele acabou "pagando". 

O irmão inocente, Eldis, foi levado pela polícia em seu trabalho, no município de Pedro Velho, em abril de 2017. Detalhe: ele não sabe ler nem conhece os dados pessoais. 

Em 2018, a advogada Marilene de Oliveira tomou ciência do caso. Durante uma visita da Pastoral Carcerária (entidade que presta serviço), se deparou com o caso de Eldis e conseguiu ajudar a vítima. 

Somente na última segunda-feira (9/12), Eldis conseguiu a liberdade, mesmo após, no ano passado, o irmão Eudes ter sido reconhecido por testemunhas em um tribunal. Depois de dois anos e cinco meses preso, Eldis Trajano deixou a cadeia pública de Ceará-Mirim no município de Canguaretama (RN). Eudes, o irmão, agora está preso na Cadeia Pública de Nova Cruz (RN).

Fique ligado!

Quer receber nossas notificações?