Rolim de Moura,
31°C

Os fatos que marcaram o ano de 2019
2019 foi bastante movimentado para os brasileiros.

Publicado 14/01/2020
Atualizado 15/01/2020
A A
Foto: Divulgação

O primeiro ano governado pelo presidente Jair Bolsonaro teve uma avalanche de frases e atitudes questionáveis cometidas pelo presidente e alguns ministros escolhidos por ele.

Mesmo com protestos no Brasil inteiro contra a reforma da previdência, ela foi aprovada. E o pacote anticrime proposto pelo ministro Sergio Moro foi finalmente aprovado pelo Congresso Nacional com 25 vetos do presidente.

A libertação do ex-presidente Lula foi como um grande evento comentado pelo mundo todo. Com certeza, 2019 não será facilmente esquecido. Vamos relembrar alguns dos fatos mais marcantes:

  • No comecinho do ano, em janeiro, uma tragédia sem precedentes: uma barragem da mineradora Vale sofreu um rompimento na Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). A região foi totalmente destruída por um mar de lama provocando 259 mortes. 11 Vítimas continuam desaparecidas.
  • Em fevereiro, o jornalista Ricardo Boechat faleceu em uma queda de helicóptero quando voltava para a capital (São Paulo) após uma palestra que realizou em Campinas.
  • Em março houve um atentado a tiros por dois ex alunos na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), resultando em 10 mortos. Um dos atiradores matou o cúmplice e depois se matou.
  • Em abril, foram bloqueadas grande parte das verbas destinadas a diversas instituições federais de educação, gerando a primeira onda de protestos contra o governo em praticamente todas as regiões do Brasil.
  • Em junho, conversas divulgadas pelo site The Intercept revelaram trocas de mensagens suspeitas entre Sergio Moro e os procuradores da Lava Jato em Curitiba. O conteúdo apontou para um conluio entre Moro e o MPF, coordenado por Deltan Dallagnol.
  • Em julho, Bolsonaro considerou a escolha de seu filho Eduardo para ser o embaixador do Brasil nos Estados Unidos. Como não obteve apoio do Senado, o presidente acabou desistindo da nomeação.
  • Em agosto, aconteceu o sequestro de um ônibus com 37 reféns no Rio de Janeiro na Ponte Rio-Niterói. O sequestrador foi morto por um atirador de elite. O governador do Rio comemorou com bastante entusiasmo a atuação da polícia.
  • A Amazônia teve 26.345 focos de incêndio de 1º a 25 de agosto. Esse número foi o mais alto desde 1998. A divulgação do INPE em relação a esses dados, teve grande repercussão, inclusive internacional.
  • Em outubro, 9 estados da região litoral do Nordeste brasileiro foram atingidos por óleo nas praias, tornando impraticável o banho de mar nessas regiões.
  • Em novembro, depois de diversas denúncias inclusive de corrupção entre os membros do PSL, o presidente Bolsonaro resolveu sair da legenda e criar seu próprio partido, o Aliança pelo Brasil.

E no finalzinho do ano, boas notícias – na última reunião de 2019, o Banco Central reduziu a taxa básica de juros (Selic) de 5% para 4,5% ao ano. Desta forma, os juros ficaram no menor patamar da história. E também um recorde histórico na Bolsa de Valores, ultrapassando os 117 mil pontos. O resultado seguiu uma sequência de recordes iniciados no último mês do ano.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa

Fique ligado!

Quer receber nossas notificações?