Rolim de Moura,
35°C

Homem que viralizou na web ao velar a mãe sozinho morre após ter o corpo queimado
Polícia Civil está investigando a morte do homem, 44 anos. A suspeita é de latrocínio, já que o celular, aparelho de televisão e carteira da vítima foram levados da casa dele.

Publicado 14/07/2020
Atualizado 14/07/2020
A A

Aos 44 anos, J. R. F. R., que ficou conhecido após velar sozinho o corpo da mãe, morreu em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, no domingo (12). Segundo o Corpo de Bombeiros, a vítima teve cerca de 80% do corpo queimado durante um incêndio na própria casa.

O fogo atingiu a residência de homem no sábado (11), foi socorrido pelos bombeiros e levado de helicóptero ao Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), em Goiânia, onde morreu.

O registro policial relata que o dono do imóvel em que a vítima morava foi quem deu as primeiras informações à polícia. De acordo com ele, os vizinhos da vítima viram, no sábado, uma fumaça saindo da quitinete, encontraram a vítima queimando no local e chamaram o Corpo de Bombeiros.

Investigação
O caso está registrado na Polícia Civil como latrocínio - que é o roubo seguido de morte – e será apurado pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Aparecida de Goiânia.

A morte dele é investigada como latrocínio porque, conforme registrado na Polícia Civil, o dono do imóvel contou que o inquilino tinha uma doença renal crônica e recebeu uma ajuda de R$ 30 mil de uma vaquinha virtual para ajudar nas despesas por causa da condição de saúde. A corporação identificou ainda que foram roubados do local celular, carteira e um aparelho de televisão da vítima.

Segundo o Instituto Médico Legal (IML), o corpo de homem foi retirado, na madrugada de domingo (12), do Hugol. Até a manhã desta segunda-feira (13), não havia sido retirado por nenhum familiar.

Velório da mãe

A vítima ficou conhecido em agosto de 2019, depois que, em um momento de revolta, publicou uma selfie com o corpo da mãe dizendo que ninguém além dele apareceu no velório ou enterro dela. A publicação teve mais de 300 mil curtidas em uma rede social.

A cena sensibilizou muitos internautas, e o homem ficou conhecido na internet. Em entrevista, ele contou que os parentes estavam espalhados por várias partes do estado e do Brasil, e que, mesmo sabendo da situação da mãe dele, não ligaram ou visitaram.

Apesar de revoltado e chateado com toda a situação, ele afirmou que esperava que a história dele inspirasse os filhos a cuidarem dos pais.

Fonte: G1 GO

Fique ligado!

Quer receber nossas notificações?