Rolim de Moura,
26°C

PM's são denunciados por atirarem no focinho de cachorro e fugirem sem prestar socorro em RO
Caso ganhou repercussão após moradores denunciarem caso na internet. Veterinário que atendeu o animal conta ter feito uma reconstrução facial para salvar o animal.

Publicado 18/07/2020
A A

A Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente (DECCMA) abriu investigação para apurar uma denúncia de maus-tratos contra um cachorro, em Porto Velho. Segundo relato de moradores, uma guarnição da Polícia Militar (PM) teria atirado no focinho do animal e ido embora sem prestar socorro.

O caso ganhou repercussão depois que a foto do cachorro, com a boca ferida à bala, foi postada nas redes sociais nesta semana.

Em um boletim de ocorrência feito na delegacia, moradores afirmam que o disparo contra o cachorro partiu de uma guarnição da PM que fazia patrulha no Bairro Conceição.

De acordo com um morador, na madrugada da última terça-feira (14) os policiais militares entraram no quintal da casa para fazer uma averiguação. O cachorro, que estava no quintal, latiu contra a guarnição na tentativa de afastar os policiais.

Nesse momento, um dos PM's atirou contra o animal e a bala atingiu seu focinho. Na sequência a guarnição se retirou do quintal e foi embora sem socorrer o cachorro.

De acordo com denúncia feita à delegacia, os policiais militares entram no quintal sem ter mandado judicial para busca.

Os donos, após saírem do lado de casa e verem que o animal havia sido baleado, pediram ajuda para levar o animal até um veterinário.

Cuidados clínicos

O Dugue, como é chamado o cachorro, foi socorrido por voluntários até o veterinário Carlos Augusto Pontes Bezerra. O médico afirma que o cachorro teve sorte por não ter morrido com o disparo.

"O tiro não atingiu nenhuma parte importante do rosto dele, por muito pouco, um centímetro para o lado e a bala teria pego na mandíbula e maxilar, aí seria uma cirurgia bem mais complicada do que foi", diz.

O veterinário explicou que Dugue se manteve calmo durante o procedimento para conter o sangramento do focinho.

"Ele se mostrou um animal bem tranquilo. Não precisamos de focinheira ou algo pra conter ele enquanto fazia a cirurgia. A todo tempo estava abanando o rabo, se mostrando bem dócil”, diz o veterinário.
Segundo o profissional, os donos do Dugue não tinham condições financeiras de mantê-lo internado, mas, antes de dar alta ao cachorro, foi realizada uma sutura e reconstrução facial.

Dugue recebeu alta da clínica na quinta-feira (16), e agora seguirá com tratamento em casa, tomando antibiótico e anti-inflamatório.

Investigação policial

A Delegada Janaina Xander , titular da Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente, intimou o tutor do cachorro e o médico veterinário para prestar esclarecimentos.

A delegada também oficiou o comandante do 9º BMP para que informe os nomes dos policiais envolvidos nos fatos. Ela também determina, pelo despacho realizado, que os agentes do Serviço de Investigação e Captura (Sevic) apurem a denúncia a fundo.

Fonte: G1 RO

Fique ligado!

Quer receber nossas notificações?