Rolim de Moura,
33°C

Laboratório móvel da Emater fortalece produção de peixe saudável em Rondônia
O laboratório móvel, do programa Peixe Saudável, está sendo utilizado nas principais regiões produtoras de peixe em cativeiro

Publicado 01/09/2020
A A

Os produtores de peixe em cativeiro da região de Ji-Paraná ganharam mais um incentivo e aliado para melhorar a produtividade. Trata-se do laboratório móvel adquirido pelo Governo do Estado e que vai baratear os custos das análises de água e do licenciamento ambiental das atividades do setor. O laboratório móvel atende especialmente ao produtor da agricultura familiar.

O objetivo do governo estadual, por meio da Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater), é cuidar mais de perto do produtor fomentando a criação de peixes mais saudáveis desde a implantação das lâminas d’água até a proteína chegar à mesa do consumidor final.

Um veículo zero quilômetro, o laboratório móvel é equipado com todos os aparelhos necessários para investigar a condição da água e fornecer elementos capazes de melhorar a qualidade da piscicultura de Rondônia, bem como acelerar o processo de licenciamento ambiental. A produção de tambaqui rondoniense já abastece grandes mercados como o de Manaus (AM), por exemplo.

“Nossa região é a maior em Rondônia quando se trata de número de piscicultores. O laboratório móvel é uma ferramenta que vai auxiliar e trazer excelentes resultados para o segmento pesqueiro e econômico”, pontua o gerente regional do Território Central da Emater, engenheiro agrônomo Antônio de Assis Furtado.

O programa “Peixe Saudável”, implantado pela Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), tem como meta o atendimento especializado ao pequeno produtor nas análises de água e auxiliar na manutenção sanitária por meio de boas práticas de manejo.

Sob o domínio da extensionista do escritório regional da Emater em Ji-Paraná, a engenheira agrônoma e especialista em piscicultura Bruna Temponi, o laboratório móvel traz ao produtor economia e praticidade a baixo custo. Em média o pequeno piscicultor da região gasta em torno de R$ 300 reais pelo serviço de análises. Os extensionistas da Emater prestam o trabalho gratuitamente fomentando o crescimento do setor.

“Atuamos em duas frentes de trabalho: as análises periódicas em campo e a capacitação técnica difundindo a importância da produção de peixe em níveis excelentes para comercialização”, explica Bruna Temponi. O programa Peixe Saudável, por meio do laboratório móvel, está presente nos três principais polos produtivos, Ji-Paraná, Ariquemes e Porto Velho.