Rolim de Moura,

Jovem acusado de torturar, matar, atear fogo em idosa e dar o coração dela a cachorros é condenado a 26 anos de prisão
Investigação concluiu que o jovem estuprou e mutilou vítima após invadir a casa dela para roubar.

Por Lis Lopes
Publicado 24/09/2020
Atualizado 24/09/2020
A A

O jovem acusado de matar, mutilar e atear fogo ao corpo da idosa identificada pelas iniciais [ T.  M.  de C ], de 64 anos, em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital, foi condenado a 26 anos e cinco meses de prisão.

O jovem identificado pelas iniciais [ I.  R.  N ], de 20 anos, foi responsabilizado pelos crimes de latrocínio – roubo seguido de morte - e tortura, além de corrupção de menor por duas vezes, já que envolveu dois adolescentes no crime.

A denúncia contra o jovem foi oferecida pelo promotor de Justiça Milton Marcolino dos Santos Júnior.

O réu foi julgado durante audiência virtual, que contou com a atuação da promotora Simone Disconsi de Sá Campos. A condenação foi proferida pela 2ª Vara Criminal de Aparecida de Goiânia.

O assassinato aconteceu em 25 de junho de 2019. De acordo com o Ministério Público de Goiás (MP-GO), a vítima foi amarrada, amordaçada e estuprada. A vítima  foi esfaqueada na barriga e teve os pulsos cortados. A idosa ainda teve, conforme a denúncia, a mama esquerda e o coração arrancados e jogados aos cachorros que viviam na casa.

A investigação concluiu que, após estuprar e torturar a idosa, o jovem colocou um pano sobre ela, jogou um líquido inflamável e ateou fogo, destruindo parte do corpo. Em seguida, ele jogou terra e pedaços de madeira sobre a mulher, na tentativa de eliminar o odor.

Corrupção de adolescentes e roubo

Antes de matar a idosa, de acordo com o MP-GO, o jovem convenceu um casal de adolescentes a invadir e roubar a casa dela. O rapaz e o garoto pularam o muro para entrar no imóvel, enquanto a garota ficou ao lado de fora vigiando. Pouco depois, a adolescente entrou na casa para ajudar a procurar por itens de valor.

A vítima chegou a conseguir se livrar da mordaça e pedir socorro, no entanto, foi contida pelo trio. Segundo a investigação, os autores do crime encontraram apenas R$ 9 na casa e dois aparelhos celulares e, por isso, decidiram torturar a idosa.

Segundo o delegado Eduardo Rodovalho, responsável pelo caso, após atear fogo ao corpo da idosa, o trio também abriu um pequeno buraco e a enterrou parcialmente no banheiro. Disse que todos os suspeitos estavam sob efeito de drogas e levaram apenas os celulares.

No mesmo dia, eles voltaram ao local e levaram uma televisão 55 polegadas, a geladeira da vítima, além de um edredom. Os itens foram apreendidos pela polícia.

O corpo da idosa foi encontrado dois dias depois. Vizinhos estranharam o constante latido dos cachorros e chamaram a filha da vítima, que foi até o local.

Ao ser preso, em junho do ano passado, o jovem negou participação do crime.

Porém, os menores apreendidos confessaram o homicídio e explicaram a função de cada um.

 

Fonte: G1 GO