Rolim de Moura,

Amarrado, amordaçado e ameaçado por ladrões na área rural de Chupinguaia, sitiante dá “alerta” e salva vizinho
Polícia fez buscas em mata, mas não conseguiu prender ladrões

Publicado 31/12/2020
Atualizado 31/12/2020
A A

Um sitiante do distrito de Boa Esperança, pertencente a Chupinguaia, viveu momentos de pânico na tarde de quarta-feira, 30, após ser amarrado e amordaçado por um vizinho, que em companhia de um comparsa, que lhe assaltou, e a todo instante o ameaçava com uma faca e uma machadinha.

Segundo o registro do caso, há pouco tempo, um homem identificado pelas iniciais [A. C. da S.] se mudou para uma propriedade vizinha e, na manhã do dia do crime, se dirigiu, na companhia de um individuo conhecido apenas como “Primo”, até a casa de um dos moradores, onde pediram carona para a cidade de Vilhena.

Como o sitiante informou que só iria para o município no período da tarde, os dois suspeitos saíram do local e foram para a o sítio da vítima, onde pediram almoço e ficaram até o momento em que foram chamados pela testemunha, para dar início à viagem até a referida cidade.

Neste momento, [A. C. da S.] e “Primo”, em posse de uma faca e de uma machadinha, disseram que “aquela era a hora” e renderam o morador da residência onde haviam acabado de almoçar e o amarraram com um lençol.

Durante o assalto, os criminosos ameaçavam bater na cabeça da vítima caso ela não entregasse o dinheiro que tinha e, após se apossarem do valor de R$ 200,00, saíram deixando o homem amarrado e amordaçado dentro do imóvel.

Quando estavam saindo local, para pegar a carona combinada, os ladrões desistiram e empreenderam fuga pela mata fechada, devido à testemunha ter ouvido o barulho que a vítima fazia ao bater com os pés contra a parede, e recuar em seguida.

Quando os dois homens fugiram, a testemunha pode entrar na casa, onde se deparou com a vítima de bruços sobre um colchão, de forma que quase era asfixiado pela posição em que se encontrava.

Após soltar a vítima, o vizinho acionou a Polícia Militar, que prontamente foi ao local e realizou buscas na mata, encontrando apenas as armas usadas no crime.

A vítima relatou, ainda, que os assaltantes lhe exigiram para que não fizesse barulho enquanto não ouvisse o som da caminhonete do vizinho que iria lhes dar carona, saindo do local, porém, para evitar que o amigo também fosse alvo dos bandidos, o homem não obedeceu e chutou as paredes alertando a testemunha e espantando os marginais, que se encontram foragidos.

Fique ligado!

Quer receber nossas notificações?