Rolim de Moura,
32°C

Polícia
Guerrilha comunista do Paraguai ataca fazenda e executa brasileiro

Por Terça Livre
Publicado 10/07/2019
A A

Na noite de segunda-feira (8/7), membros da “Brigada Indígena Contra Pistoleiros de Fazenda”, grupo integrado à guerrilha comunista conhecida como “Exército do Povo Paraguaio” (EPP), invadiram a fazenda Ñandu’í, na Colônia Ararokẽ, situada no estado de Amambay, a 75 km de Pedro Juan Caballero, cidade vizinha de Ponta Porã (MS), e executaram a tiros o capataz, Avelino Camargo, cidadão brasileiro.

O crime aconteceu por volta das 22h. Avelino foi assassinado com diversos disparos de armas semiautomáticas.

Segundo o site Porã News, o Comando de Operações de Defesa Interna (CODI) do Paraguai, confirmou o caso na manhã de terça-feira e testemunhas identificaram o líder do ataque a fazenda como Osvaldo Daniel Villalba Ayala, um dos principais cabeças do EPP.

Em comunicado o CODI aponta que os integrantes do EPP queimaram um galpão, uma oficina mecânica, uma residência utilizada como sede da fazenda, uma carreta Scania, tratores com implementos agrícolas e uma camionete.

Caminhonete queimada por guerrilheiros; ao fundo, barracão e carreta também queimados (Foto: Mbykymi Notícias)

O CODI também informou que o grupo era formado por aproximadamente 20 homens fortemente armados, usando uniformes camuflados e tinham fisionomia indígena.

Os comunistas levaram vários objetos da fazenda além de víveres, deixando a área saqueada.

Segundo Luis Apesteguia, porta voz da Força de Tarefa Conjunta (FTC), no momento do ataque a fazenda 17 funcionários se encontravam no local, entre mulheres e crianças que passaram por momentos de terror nas mãos dos comunistas.

Os membros do EPP deixaram no local do ataque um comunicado onde manifestam ser da “Brigada Indígena Contra Pistoleiros de Fazenda” do “Exército do Povo Paraguaio” que atuava na região do estado de San Pedro.

Há quase dez anos a guerrilha comunista EPP desafia o governo paraguaio promovendo ataques a propriedades rurais e povoados dos estados de San Pedro e Amambay. Policiais também são alvos dos ataques dos comunistas. Os terroristas do EPP se escondem em matas fechadas e contam com apoio de moradores locais.

Os proprietários da Fazenda Ñandu’í seriam dos brasileiros Darci e Iracy Antoniolli, que possuem escritório de compra e venda de gado em Ponta Porã (MS) e madeireira em Sinop (MT).

Confira o comunicado da FTC

Fonte: Terça Livre

Guerrilha   Paraguai   Fazendeiro   Brasileiro  

Mais em Polícia

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.