Rolim de Moura,

Agronegócio
Educação e investimento: fórmula que fez Rondônia ser o terceiro maior produtor de Cacau do Brasil

Por Anayr Celina
Publicado 12/08/2019
A A

Após períodos de baixa produção, os produtores e famílias agricultoras de cacau de Rondônia vivem agora um momento de grande expectativa. De acordo com dados da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), de 2015 a 2019 Rondônia produziu cerca de sete mil toneladas de cacau, um número que chama a atenção, em comparação aos anos anteriores. A expectativa é que até o final do ano, a produção se aproxime de dez mil toneladas.

O estado continua ocupando a terceira posição no ranking de estados que mais se destacam na produção de cacau do país, perdemos apenas para a Bahia e o Pará. Abastecemos os mercados dos Estados Unidos, Alemanha e Itália. Os municípios de Ouro Preto do Oeste, Jaru, Nova União, Buritis, Ariquemes, entre outros, se destacam com grandes produções, o que alavanca a economia, através da movimentação em média de R$ 70 milhões anualmente.

A retomada do avanço, segundo Amarildo Pinheiro, chefe de pesquisa e extensão rural de Rondônia e Mato Grosso (Cepex/Ceplac/Surom), se deve a confiança do produtor rural no governo do estado de Rondônia, propriamente na gestão do governador Marcos Rocha. Resultado, também, de parcerias com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), e com a Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) e demais órgãos. Os investimentos em tecnologia, segundo ele, proporcionaram variedades de cacau, resistência a pragas como a vassoura de bruxa e qualidade genética, aumentando a produção.

“Com o programa de expansão do cacau, que temos com o governo Marcos Rocha, estamos expandido, e acreditamos ainda na proposta de implantação de 1.500 hectares por ano. Com isso, em 4 anos teremos aproximadamente 17 mil hectares de cacau de qualidade em Rondônia”, destacou Amarildo.

O cacau clonal, geneticamente modificado, produz em grande quantidade e em menos tempo, o que contribui, também, com o aumento de áreas de plantio, fomentando assim, a geração de emprego e renda no estado. Segundo Amarildo, o cacau da região se destaca dos demais quanto a durabilidade e resistência. O chocolate produzido com o cacau de Rondônia dura mais tempo e resiste as altas temperaturas.

O destaque tanto em números quanto no cenário nacional tem explicação: foi graças a junção da educação com o investimento. A fórmula, não mais secreta, tem sido implantada em diversas áreas, como o café, por exemplo. A diferença é que o governo tem investido em capacitações e tecnologia. Uma vez por dentro do universo do cacau, as equipes técnicas ensinam os produtores “a pescar”, mas não do modo convencional, e sim com base em experiências que deram resultados. “Nós não levamos só o conhecimento, nós ensinamos na prática, e isso tem dado bastante resultado” concluiu o chefe da Cepex/Ceplac/Surom.

DIA DO CACAU

Destacando a importância do cacau para a economia de Rondônia e como forma de oferecer subsídios para o produtor, com a apresentação de técnicas e melhorias na produção , o governo do Estado criou, por meio da Lei 4.526 de 28 de junho, o Dia Estadual do Início da Colheita do Cacau e a Semana do Cacauicultor. A data escolhida foi o dia 13 de abril.

Fonte: Secom - Governo de Rondônia

3º no Ranking   Rondônia   cacau   PRODUTORES   Estado   brasil   Educação   Investimento  

Mais em Agronegócio

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.