Rolim de Moura,

Governador libera várias atividades a saírem da quarentena em Rondônia; saiba quais
Ao lado do governador, o secretário da Saúde, Fernando Máximo, disse que as aulas continuarão suspensas, uma vez que as crianças são alvos fáceis e que mesmo estando doentes podem continuar transmitindo, embora pareçam estar saudáveis

Publicado 25/03/2020
Atualizado 25/03/2020
A A
Foto: Reprodução/REDE SOCIAL

Em anúncio na noite desta quarta-feira (25), o governador Marcos Rocha anunciou que está readequando o decreto de calamidade pública para garantir atividade do setor produtivo do Estado. Também avisou que por determinação do Corpo de Bombeiros, os supermercados deverão adequar-se a nova regras: cada pessoa precisa estar em 5 metros quadrados. A maior parte do comércio vai continuar fechada, pelo menos até a próxima semana, quando acaba o período da quarentena decretada no último dia 20.

Ao lado do governador, o secretário da Saúde, Fernando Máximo, disse que as aulas continuarão suspensas, uma vez que as crianças são alvos fáceis e que mesmo estando doentes podem continuar transmitindo, embora pareçam estar saudáveis.

A liberação dos serviços atende pedido da classe empresarial e de setores do próprio Governo. São esses os serviços liberados não sendo permitidas aglomerações:

  • Funerários;
  • Comércio de produtos que são ligados a agroindústria;
  • Obras e serviços de engenharia;
  • Manutenção e limpeza;
  • Hotéis e hospedaria. Café da manhã deve ser servido nos apartamentos;
  • Escritórios de contabilidade;
  • Materiais de construção;
  • Restaurantes às margens das rodovias e
  • Borracharias

“Temos que evitar aglomeração. Você tem que ir, compra, o que tem que comprar, paga e sai”, disse o governador, afirmando que seu decreto se sobrepõe aos demais decretos municipais”.

O governador negou que tenha brigado com o presidente Jair Bolsonaro e que entende que ele (Bolsonaro) está correto, pois é necessário preservar a economia, referindo ao pronunciamento na noite de terça-feira.

CONFIRA O VÍDEO:

 

Fonte: Rondoniagora